Abuso sexual de menores atingiu “quadro negro” em São Tomé e Príncipe

“Os números são alarmantes”. Só em 2020 o país registou “621 casos” o que coloca São Tomé e Príncipe num “quadro negro”

Notícias -
Menores

Abuso sexual de menores atingiu "quadro negro" em São Tomé e Príncipe

A Ministra da Justiça, Ivete Correia revelou a tendência crescente de casos de abuso sexual de menores nos últimos anos. Com base nos dados da Polícia Judiciária a ministra disse que em “2019 deu entrada 149 queixas de abuso sexual de menor e 31 queixas de violação, enquanto que em 2020 registou-se 200 queixas de abuso sexual de menor e 30 casos de violação“.

Estes números contrastam com o total de processos em curso no Ministério Público neste momento. Segundo Ivete Correira “em 2020 encontram pendentes 62 processos de abuso sexual de menores, 53 processos de acto sexual com adolescentes e 363 processos de violência doméstica“. Os dados “apontam para um aumento significativo de casos de abuso sexual de menores” no país, reconheceu a ministra.

O diretor do Centro de Aconselhamento contra a Violência Doméstica, o jurista Jair Pimentel, na apresentação das conclusões de uma análise a estes dados, considerou que “os números são alarmantes”. Segundo ele, só em 2020 o país registou “621 casos” o que coloca São Tomé e Príncipe num quadro negro. Jair Pimentel defendeu que “urge tomar medidas acertadas e urgentes para invertermos esta prática”.

Estes números foram apresentados durante a cerimónia de abertura do mês da justiça em São Tomé e Príncipe que prevê a realização de várias atividades e reflexões sobre o aumento de casos de abuso sexual de menores no país.

Comentar
 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais nem utilize linguagem imprópria.

Últimas

Topo