MESARO Aurora

Direção de Energia promove workshop para validação de programa de eficiência energética

O representante da direção de Energia assegurou que um dos desafios que o país abraçou, é “aumentar a eficiência energética e a penetração de energia renovável no sistema elétrico nacional”.

Economia -
energia

A Direção Geral dos Recursos Naturais e Energia realizou esta quarta-feira, 15 de junho de 2022, um workshop para validação do programa MEPS (Padrões Mínimos de Desempenho Energético) e rotulagem em São Tomé e Príncipe.

O referido workshop insere-se no âmbito do “Programa Estratégico para Promover Investimentos em Energias Renováveis e Eficiência Energética no Setor Elétrico em São Tomé e Príncipe” para promover o uso eficiente de energia em iluminação, ar condicionado e frigorifico através de políticas de eficiência energética harmonizadas adequadas, potenciando um comércio de produtos eficientes, economizando energia e reduzindo as emissões de carbono de produtos mais eficientes para os consumidores.

O representante do Diretor da Energia, Diodote Lima que presidiu o referido workshop destacou que a “energia é importante no processo de desenvolvimento socioeconómico de qualquer nação.

“Com base neste aspeto e reconhecendo a vital necessidade de fazermos a boa gestão dos recursos disponíveis, tendo em conta o fenómeno das alterações climáticas e o cumprimento dos ODS, torna-se cada vez mais necessário desenvolvermos políticas estratégicas e ações que visam ao aproveitamento das energias renováveis”, apontou o representante do Diretor da Energia no seu discurso.

Diodote Lima assegurou que um dos desafios que o país abraçou, é “garantir a segurança energética, aumentar a eficiência energética e a penetração de energia renovável no sistema elétrico nacional” com a implementação de transição da energia.

“O objetivo é que o país tenha uma cobertura muito próxima de 100% em eletricidade segura e estável, com aumento de energia renovável na matriz energética nacional”, disse Lima sublinhando que “o sistema [de energia] é basicamente térmico com custo elevadíssimo para o país.”

Além disso, Diodote Lima afirmou que “a política de diversificação da matriz energética são-tomense é uma das prioridades do Governo” manifestada através do Ministério das Infraestrutura, Recursos, que definiu “em termos de investimentos privados e públicos em fontes alternativas de energias renováveis acima de 50% na matriz energética” do país até o ano 2030.

Na semana passada o Governo fez o lançamento do projeto de construção da primeira central fotovoltaica em S. Amaro com capacidade estimada de 540kwp, numa primeira fase avaliada em cerca de 690.000USD (seiscentos e noventa mil dólares), e na segunda fase será instalada mais 1650kwp, totalizando 2.2 MWP.

Últimas

Topo