MESARO Aurora

Governo e sindicatos retomam acordo salarial de 2.500 dobras, mas não evita manifestação de hoje

“Não vamos desmobilizar as pessoas pelo facto de termos concordado com a proposta de decreto que não foi publicado ainda”, disse secretário-geral da Organização Geral dos Trabalhadores de São Tomé e Príncipe, João Tavares.

País -
Governo e Sindicatos

Os sindicatos são-tomenses aceitaram a proposta do Governo que estabelece o complemento salarial que aumenta o rendimento dos trabalhadores para cerca de 100 euros, mas mantêm a manifestação prevista para hoje e o pré-aviso de greve da próxima semana.

“Concluímos mesmo que seja complemento, porque no fundo o que nós queremos é que o valor de 2.500 como base, fosse para os bolsos das pessoas, ou seja, é o rendimento das pessoas e nós pusemos que esse complemento seja salvaguardado, tal como o décimo 13º e o subsídio de férias e a continuidade para discussão para 2023 e 2024”, disse o secretário-geral da Organização Geral dos Trabalhadores de São Tomé e Príncipe, João Tavares.

Além disso, adiantou que “a partir deste ano, o subsídio de férias e o 13º, que é o subsídio de Natal, estão confirmados”.

Entretanto, João Tavares afirmou que “o pré-aviso de greve e a manifestação mantêm” tendo em conta que as negociações terminaram cerca das 13 horas o trabalho de mobilização já desencadeado pelas centrais sindicais.

“Vamos falar com os nossos membros o que nós acordamos aqui, mas a manifestação vai ter que acontecer. Não vamos desmobilizar as pessoas pelo facto de termos concordado com a proposta de decreto que não foi publicado ainda”, disse João Tavares.

A manifestação dos trabalhadores da função pública está agendada para às 15 horas locais.

Últimas

Topo