PAM apresenta resultados do ‘Estudo SABER’, para a melhoria da alimentação escolar em STP

Edna Peres precisou ainda que o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNASE) “é o principal mecanismo de segurança alimentar e nutricional em São Tomé e Príncipe, tendo em conta a sua abrangência”.

Educação -
PAM

O Programa Alimentar Mundial (PAM) apresentou na quarta-feira o relatório do estudo denominado, SABER – Alimentação Escolar, que permite fazer o diagnóstico do quadro político e institucional da alimentação escolar em São Tomé e Príncipe.

O SABER tem o seu foco em cinco áreas ou pilares, nomeadamente, o marco legal e regulatório; a capacidade institucional e coordenação; desenho e implementação; capacidade financeira e participação comunitária.

O atelier realizado no Hotel Praia, visou dar a conhecer aos participantes os resultados do estudo SABER – Alimentação Escolar, que consistiu numa análise aprofundada do programa de alimentação escolar, segundo a encarregada do escritório do PAM, Edna Peres.

PAM

“Por outro lado, promovermos a discussão sobre as principais diretrizes e metas a atingir no âmbito do próximo plano estratégico para o país 2024-2028”, disse.

Edna Peres precisou ainda que o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNASE) “é o principal mecanismo de segurança alimentar e nutricional em São Tomé e Príncipe, tendo em conta a sua abrangência”.

A encarregada do escritório do PAM, apontou que o Programa nacional de alimentação escolar enfrenta diversos desafios a vários níveis que dificultam a sua efetiva implementação, mas garantiu que nos próximos cinco anos o PAM pretende “apoiar o Governo no que se refere às questões ligadas as alterações climáticas que direta ou indiretamente também têm um impacto na produção local”.

O Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pesca, Abel Bom Jesus reconheceu o trabalho que tem sido feito pelo PAM ao longo dos anos, no que concerne a alimentação escolar em São Tomé e Príncipe, apesar de admitir que há necessidade de se aprimorar mais este trabalho para se chegar a mais crianças.

“Nós vamos canalizar todas as nossas forças para o aumento da produção e da produtividade ao nível nacional no que toca a agricultura, a pesca e não só”, precisou, Abel Bom Jesus.

PAM

O referido atelier foi presidido pela Ministra da Educação, Cultura e Ciências, Isabel Abreu, que destacou a importância da realização do exercício SABER – Alimentação Escolar “com vista a aferir as capacidades nacionais e alimentação escolar existente de forma estruturada e sistemática, de forma a identificar as lacunas e as fraquezas mais importantes e discutir as melhores formas da sua abordagem”.

A tutelar da pasta da educação reforçou que “uma alimentação variada e saudável com base nos produtos locais é uma das condições fundamentais para o sucesso educativo das crianças.”

A ministra da educação sublinhou ainda que “é importante dar uma atenção especial aos bons hábitos alimentares, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento dos alunos, o desempenho escolar e consequentemente a promoção da saúde”.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNASE) é sustentado pelo governo com base na lei 4/2012 e apoiado pelo Programa Alimentar Mundial (PAM) que é a maior agência humanitária do mundo, que fornece em média, a cada ano, alimentos a 90 milhões de pessoas em 80 países, incluindo 58 milhões de crianças.

Comentar
 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais nem utilize linguagem imprópria.

Últimas

Topo