MESARO Aurora

Japão pede “gestão escrupulosa” de mais 1.150 toneladas de arroz doados a São Tomé e Príncipe

“A ajuda alimentar do Japão representa uma assistência que ultrapassa o alimento, na medida em que os fundos provenientes da venda do produto, germina meios financeiros tão importantes para a economia de São Tomé e Príncipe”, sublinhou, Edite Ten Jua.

País -
Japão - arroz

O Japão assinou hoje com o Governo são-tomense a doação de 1.150 toneladas de arroz, avaliadas em 200 milhões de ienes (1,496 milhões de euros), com vista a contribuir para a segurança alimentar no país.

O acordo, assinado pelo embaixador nipónico em São Tomé e Príncipe, Noguchi Shuji, e a ministra são-tomense dos Negócios Estrangeiros, Edite Ten Jua, visa “reforçar a segurança humana num contexto socioeconómico difícil, afetado pela pandemia da covid-19 e pelo aumento dos preços dos cereais” em consequência da guerra na Ucrânia, afirmou o diplomata japonês.

“Gostaria de encorajar todos todos os interessados a estarem mais envolvidos na gestão escrupulosa da receção do arroz doado, bem como do fundo de contrapartida ao abrigo do acordo, de modo a contribuir plenamente para aliviar a escassez alimentar e promover o desenvolvimento económico e social do país para o bem-estar da população” disse, o embaixador do Japão.

O produto da venda do arroz pelo Estado são-tomense “a um preço preferencial no mercado local” será “utilizado para criar um fundo de contrapartida” que financiará “projetos de desenvolvimento socioeconómico” após consulta entre os dois países, esclareceu ainda o diplomata.

A ministra dos Negócios Estrangeiros, Edite Ten Jua afirmou que a ajuda um “mecanismo na luta contra a pobreza” que “exige a boa gestão da ajuda recebida e dos fundos gerados; e que impõe uma boa e estreita coordenação com o parceiro Japão na implementação dos projetos e ações” por ele abrangidos.

“A ajuda alimentar do Japão representa uma assistência que ultrapassa o alimento, na medida em que os fundos provenientes da venda do produto, germina meios financeiros tão importantes para a economia de São Tomé e Príncipe”, sublinhou, Edite Ten Jua.

Este ano, São Tomé e Príncipe submeteu ao Japão o projeto de reabilitação do Museu Nacional e a construção de dois centros de armazenamento de produtos alimentares, um em São Tomé e outro na região autónoma do Príncipe.

A governante recordou que as ações realizadas com os fundos gerados pela ajuda anual do Japão têm beneficiado áreas como a da educação, desporto e saúde, na qual destacou as intervenções nos hospitais Ayres de Menezes, em São Tomé, e Manuel Quaresma Dias da Graça, na ilha do Príncipe.

A governante destacou ainda no âmbito da cooperação bilateral com o Japão o apoio previsto do país asiático no setor das Pescas para a aquisição de embarcações e motores na ordem dos 1,600 milhões de euros, por “cuja entrega” São Tomé e Príncipe “anseia”.

Edite Ten Jua aproveitou ainda a oportunidade para sublinhar a importância do apoio do Japão aos sucessivos processos eleitorais no país, manifestando junto do diplomata nipónico a intenção de São Tomé receber “uma equipa de observadores” às eleições legislativas, regionais e autárquicas agendadas para 25 de setembro próximo.

Últimas

Topo