MESARO Aurora

CENJOR forma jornalistas são-tomenses sobre captação e edição de imagem

Participaram nesta formação, profissionais da televisão, das agências de notícias, da rádio e alunos do Instituto Superior de Educação e Comunicação (ISEC). O formador do CENJOR adiantou que todos os jornalistas sem exceção, vão ter que trabalhar com multimédia futuramente.

Notícias -
ENTREGA DE CERTIFICADOS AOS JORNALISTAS

Mais de 40 jornalistas de diversos órgãos da comunicação social do país, incluindo alunos do Instituto Superior de Educação e Comunicação (ISEC) receberam na terça-feira os seus certificados, após concluírem uma formação sobre captação e edição de imagem, promovida pelo Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas (CENJOR), de Portugal.

A formação contou com apoio do Instituto Superior de Educação e Comunicação (ISEC), Sindicato dos Jornalistas de STP e a Cooperação Portuguesa, com o objetivo de munir os técnicos da comunicação social, de conhecimentos sobre a captação e edição de imagem.

“Foram realmente três grupos a fazerem todos a mesma formação inicial, portanto o que nós desenhamos para esta formação, foi um primeiro momento de formação inicial para todos os profissionais de comunicação social e alunos do ISEC com objetivo de dar uma formação inicial sobre tudo que se relaciona com televisão e com jornalismo televisivo” disse o formador do CENJOR, Rui Rocha, tendo avançado ainda que haverá “uma segunda fase para quem concluiu esta primeira fase inicial.”

ENTREGA DE CERTIFICADOS AOS JORNALISTAS

Rui Rocha enalteceu a participação dos formandos durante as semanas de formação, mas lamentou a falta de comparência de muitos “que não puderam assistir todas as formações por motivos profissionais.”

O formador português do destacou ainda a boa interação com os participantes durante a formação tendo feito um balanço positivo das três semanas desta ação.
“Os formandos tiveram uma atitude muito intensa, muito forte, houve muita discussão positiva em sala, o que de alguma maneira faz com que o jornalismo televisivo em São Tomé se desenvolva, mas, há muito que fazer”, disse Rocha, que, no entanto, considera que o jornalismo televisivo no país “já está num caminho bastante desenhado.”

ENTREGA DE CERTIFICADOS AOS JORNALISTAS

Participaram nesta formação, profissionais da televisão, das agências de notícias, da rádio e alunos do Instituto Superior de Educação e Comunicação (ISEC). O formador do CENJOR adiantou que todos os jornalistas sem exceção, vão ter que trabalhar com multimédia futuramente.

“O jornalismo atual não vai viver sem multimédia, portanto, quer sejam os profissionais da Rádio, quer sejam os profissionais dos jornais e da própria televisão têm que, de alguma maneira, dominar este assunto do vídeo. O vídeo é o futuro”, sublinhou Rui Rocha.

O representante do Sindicato dos Jornalistas São-tomenses, Euclydes Amadeu rederiu que a formação aconteceu “serviu para passar aos técnicos da comunicação social alguma noção sobre a edição e captação de imagem”.

“Sabemos que estamos em momentos em que as novas tecnologias começam cada vez mais a ganhar terreno, então os técnicos da comunicação social têm que aprender e a saber manusear os equipamentos de serviço como deve ser, utilizar os softwares de edição que serve para trabalhar as imagens […]” então essa formação serve para deixa-los mais prontos para qualquer que sejam os desafios que vierem a enfrentar”, acrescentou o secretário do Sindicato dos Jornalistas são-tomenses.

ENTREGA DE CERTIFICADOS AOS JORNALISTAS

A cerimónia da entrega de certificados, aconteceu no Centro Cultural Português, onde contou com a presença do representantes do ISEC e da representante da cooperação portuguesa.

Últimas

Topo